Dia 28 e 29 - Havana - Cuba

Vigésimo oitavo dia de viagem 17/05/2017 – Quarta – Havana

Acordamos ao meio dia, com uma leve ressaca, nada que atrapalhasse o dia, contamos toda a historia para a Teresa, e recebemos uma ótima noticia, não precisaríamos pagar pela hospedagem daquela noite, porque como chegamos as 5 horas da manhã, ela já contou como dia seguinte, D Teresa é foda, uma mãezona, ainda fez um café para a gente, assim fomos almoçar, já fazia mais de 20 horas que não comíamos nada, depois disso deu a maior preguiça, passei a tarde escrevendo no diário, fazendo textos para o blog e arrumando as fotos, dormi um pouco, o plano era a noite ir no bar de novo, iriamos encontrar as gregas lá, caso elas fossem né, mas estávamos mortos, o bar era longe e preferimos ficar na casa conversando com Dona Teresa e seu marido, Fran, hoje tiramos o dia para fazer nada de nada.

Vigésimo nono dia de viagem 18/05/2017 – Quinta – Havana

Acordei as 08:30 e o plano era ir ao centro velho, precisava comprar um boné, passear por Havana, dar os últimos roles e comprar 2 garrafas de run cubano para levar para o Brasil, também queríamos ir ao Coppelia, todas as vezes que fomos la estava com fila imensa, lá vende o melhor sorvete de Cuba, vamos ver se hoje temos mais sorte, pela manha conversamos muito com Teresa e Fran e fomos para rua buscar as garrafas, achamos por 10 cuc´s as duas, uma da mais barata e a outra uma edição especial, voltamos para a casa e Paulo queria comprar charutos e Teresa conhecia uma mulher que os vendia mais barato que o da loja, ele comprou por 12 cuc´s 25 charutos pequenos e finos para presentear seus amigos, ajudamos Teresa a colocar o hostel no Hostelworld e fomos almoçar, após isso fomos ao Coppelia, tinha uma fila, mas a encaramos, você come 5 bolas de sorvete por 5 pesos, muito bom e barato, por isso que é lotado sempre, a fila do lado de fora é apenas para organização.

Assim fomos ate o Malecon, mas começou a chover muito, quando deu uma trégua, corremos ao bar que bebemos outro dia, ai a chuva voltou e ficamos por lá bebendo mojitos e cuba libre, quando a chuva parou, fomos jantar e ir para casa, tinha que arrumar minhas coisas, as 04 da manhã estou de pé, rumo ao aeroporto, vou tentar pegar o ônibus P12 que custa 1 peso ou um táxi coletivo de 20 pesos, táxi normal é muito caro, em torno de 15 Cuc´s chorados.

E por fim, hoje comprei um boné novo, que dure muito tempo, e, além disso, fiquei muito feliz, Fran me presenteou com um livro, NAPALM, fiquei bem contente, agradeci e sempre que o ler, vou me lembrar de Cuba e das amizades que fiz nessa ilha.

Follow me

1/27

© 2023 por NÔMADE NA ESTRADA. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now